• Rogério Ferreira Machado

MARCHA DA “CURA GAY”




Aconteceu no último sábado, 25, nos Estados Unidos, uma marcha de pessoas denominadas Ex-gays. A Freedom March (Marcha da Liberdade), é marcada pelo encontro de ex-homossexuais que se reúnem com objetivo de testemunhar de sua libertação do universo homossexual.


Esta foi a segunda marcha realizada em Washington, capital dos Estados Unidos. A primeira aconteceu no ano passado e foi seguida por outra em Los Angeles. Para esse ano novas manifestações estão programadas para acontecer em Saint Paul (Minnesota), em 23 de junho, e Orlando (Flórida), em 14 de setembro.


Os participantes da “Marcha da Liberdade” pregam o respeito a quem quer ser homossexual bem como a quem quer deixar de ser. E, apesar de ser um tema pouco difundido os testemunhos surpreendem. Porém, os ex-homossexuais precisam lidar constantemente com a desconfiança e preconceito dos próprios homossexuais, que não acreditam ser possível mudar, e também da sociedade e comunidade cristã, que em sua maioria não acredita ser possível desgostar do outro sexo tão facilmente.


Jeffrey McCall é o idealizador e fundador do evento que está tomando corpo e crescendo. “Fui transformado pela graça de Jesus e descobri que outros também foram. Essas marchas são uma maneira de garantir que outras pessoas que tenham superado isso não se sintam isoladas e sozinhas”, frisou ele.


Outra voz do evento é Luis Javier Ruiz, um sobrevivente do ataque, que aconteceu em Orlando, em 2016, à boate gay Pulse. “Eu sempre disse que não é sobre um gay virar hétero. É sobre um perdido ser salvo. Através da Freedom March, queremos espalhar mensagens de amor e aceitação por pessoas que deixaram sua identidade LGBT e mostrar que nós existimos. Essas marchas são nossa plataforma para educar, encorajar outras pessoas e compartilhar isso”, afirmou Ruiz.


O líder de adoração da marcha, Edward Byrd, acredita que o maior mal-entendido sobre aqueles que deixaram a vida homossexual é achar que eles estão suprimindo seus desejos sexuais. “Eles acham que não somos felizes, acham que não estamos satisfeitos quando, na verdade, estamos vivendo a melhor fase das nossas vidas. Não estamos dizendo que é fácil, mas a verdadeira alegria, paz e liberdade que temos não é nada comparado com o que eu tinha conhecido antes”, disse.


De acordo com Byrd, o conceito que ficou conhecido no Brasil como “cura gay” é enganoso. “A maioria de nós nunca experimentou a terapia de conversão, nossas experiências foram encontros com o Espírito Santo que mudou nossas vidas. Nenhum de nós foi forçado a mudar; foi uma decisão que tomamos para seguir Jesus e Seu amor”.


Para entendermos melhor a chamada “cura gay” precisamos nos lembrar do que disse Jesus Cristo em seu encontro com Nicodemos e do que disse o apóstolo Paulo aos coríntios: “Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito. O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito... É necessário que vocês nasçam de novo” “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” – Evangelho de João 3:5 a 7 e 2ª Coríntios 5:17.


Andar com Cristo deve ser nossa vocação e morar com Ele nossa recompensa.


Publicado em 01/06/2019 no jornal Gazeta Bragantina e GB Norte.


2 visualizações
Funcionamento da Secretaria:
2ª à 6ª das 13h às 17h
Telefone: (11)2277-3707
secretaria@boasnovasigrejabatista.com

Igreja Batista Boas Novas Bragança Paulista | Copyright© 2017 - Todos os direitos reservados