• Rogério Ferreira Machado

Nove de Julho




Nove de Julho é uma data especial para os paulistas, mas de grande importância para todo o país. A data lembra a Revolução Constitucionalista de 1932.

Tudo começou em 1930 quando uma revolução derrubou o governo federal. Getúlio Vargas assumiu a presidência do Brasil em caráter provisório, mas com amplos poderes. Assim que assumiu ele aboliu todas as instituições legislativas, desde o Congresso Nacional até as Câmaras Municipais. Os governadores dos Estados foram depostos sendo colocados em seus lugares interventores. O governo Vargas reconhece oficialmente os sindicatos dos operários, legaliza o Partido Comunista e apoia um aumento no salário dos trabalhadores.

Essa política de Vargas desagradava à cúpula política paulista, o estado economicamente mais importante do país. Além disso, os liberais reivindicam a realização de eleições e o fim do governo provisório.

No início do ano de 1932, uma greve mobiliza 200 mil trabalhadores no Estado, e em 23 de maio é realizado, na capital paulista, um comício reivindicando uma nova constituição para o Brasil. O comício termina em um conflito armado onde foram brutamente mortos, pelas tropas federais, leais ao então presidente Getúlio Vargas, 4 estudantes: Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo. Alguns dias depois, às 23h30min do dia Nove de Julho, explode a Revolução Constitucionalista.

Os nomes daqueles estudantes mortos deram origem à sigla MMDC, símbolo de luta e resistência do povo de São Paulo em defesa da democracia. E, em reconhecimento, a Lei Estadual 11.658/2004 consagrou essa data como “Dia dos Heróis MMDCA”, incluindo também Alvarenga (Orlando de Oliveira Alvarenga) ferido no mesmo confronto, e que veio a morrer algum depois no hospital.

A Revolução Constitucionalista foi o maior confronto militar no Brasil no século XX. As estatísticas oficiais contabilizam 830 mortos. Mas, estima-se que centenas de pessoas mortas não façam parte dos registros oficiais.

Em 2 de outubro daquele ano, os paulistas se rendem. Muitos foram presos, cassados e deportados. Mas, apesar da derrota em sua luta por uma constituição, dois anos depois, em 1934, uma assembleia eleita pelo povo promulga a nova Carta Magna.

Assim como em 1932 muitos morreram por um ideal, Jesus Cristo também morreu por Seu ideal: dar Sua própria vida para salvar os pecadores. Morre o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus, para que nós tenhamos vida e vida abundante, conforme a 1ª Epístola de Pedro 3:18 e o Evangelho de João 10:10.

A Revolução de 1932 gerou a Constituição de 1934, modificada 1988, e trouxe benefícios a todos os brasileiros. Já a morte de Jesus Cristo trouxe benefícios a toda a humanidade e gera vida eterna a todo aquele que n’Ele crê. Por isso, “Creia no Senhor Jesus e você será salvo” – Atos 16:31.


Publicado em 06/07/2019 no jornal Gazeta Bragantina e GB Norte.


4 visualizações
Funcionamento da Secretaria:
2ª à 6ª das 13h às 17h
Telefone: (11)2277-3707
secretaria@boasnovasigrejabatista.com

Igreja Batista Boas Novas Bragança Paulista | Copyright© 2017 - Todos os direitos reservados